EQUILÍBRIO PARA O CRESCIMENTO

Conforme prevê o disposto na alínea a) do Artigo 27º do Compromisso da Santa Casa da Misericórdia de Montalegre, vimos apresentar o PLANO DE AÇÃO E ORÇAMENTO PARA 2018, que é um Plano de equilíbrio para o crescimento.

Em 2017 previa-se abrir a UCC e, não tendo acontecido, podemos dizer que foi um ano perdido. Mas foi preciso muito trabalho e muita resistência para se resolver o que se resolveu e chegar ao estado de arranque do equipamento. E sabemos que ultrapassamos muitos problemas, mas que agora surgem outras dificuldades.

Este Orçamento será, por isso, o do primeiro ano da UCC, exploração difícil a todos os níveis, mas que preparamos com cuidado e competência.
O Plano continua centrado nos recursos humanos, na formação, na qualificação dos serviços e no grande esforço de beneficiação das instalações e do equipamento e claro, na prestação de melhores serviços aos utentes.

Enfrentamos estes desafios, com a situação deficitária da exploração da creche, reconhecendo a justiça da necessária valorização salarial dos funcionários, mas sempre com o respeito pelo objetivo sagrado da sustentabilidade financeira e do futuro da Misericórdia.

Temos pois, uma visão realista das carências e necessidades, mas também dos meios para lhes fazer frente.
O Plano refere uma serie de iniciativas em várias áreas e tem o seu reflexo orçamental.
A fonte de receita não aumenta, é em função dos utentes, e os gastos, por mais que se deseje fazer e agradar, estão limitados cada vez mais, porque o dinheiro é cada vez menos e as exigências são cada vez maiores.
Mas mesmo com a incerteza da UCC, haverá condições mínimas para fazer obras e até a possibilidade de candidatura para remodelações mais amplas, para assegurar o aumento legal dos salários e até fazer correções nos trabalhadores com anos de serviço que ficam perto do salário mínimo e, partilhar com os trabalhadores algum ganho e poupança na despesa.
Continuaremos o esforço, promovendo o diálogo na procura de soluções, de forma a reforçar o sentido de equipa e a coesão da Misericórdia e cumprir e elevar o espirito das catorze obras da Misericórdia.

Montalegre, novembro de 2017

O Provedor
Fernando Rodrigues